Blog PTX

Treino com máquinas, sim ou não?

Até há bem pouco tempo atrás as máquinas de musculação tinham uma conotação mais negativa. Os materiais ditos mais “funcionais” eram considerados os mais benéficos para o corpo e mais completos no que toca ao movimento. Os exercícios executados com estes materiais eram também supostamente aqueles que conferiam maior intensidade por envolverem mais segmentos corporais.
Era comum ouvir por exemplo: “o treino nas máquinas é monótono”; “as máquinas não melhoraram o seu corpo”; “as máquinas não melhoram a consciência corporal”; ”o treino com máquinas não melhora a sua qualidade de vida”; o treino com máquinas não melhora a performance; “o treino com máquinas é mais susceptível a lesões”; “para utilizar as máquinas não precisa do acompanhamento de um treinador”.
Na PTX achamos exactamente o contrário.
As máquinas são construídas segundo princípios biomecânicos e por isso permitem um trabalho mais localizado, ou seja, mais direccionado para o músculo alvo. Com estes equipamentos poderá solicitar não só os músculos como também fibras específicas. Por isso, são uma excelente forma de melhorar a eficiência do seu treino.
Quanto à intensidade, ao estar a executar movimentos mais guiados e de forma mais estável, poderá trabalhar com cargas mais altas da forma mais correta. Portanto, é também uma excelente forma de aumentar a intensidade e aumentar as respectivas adaptações ao treino que permitem a sua progressão.
O facto de o padrão de movimento ser mais restrito, permite um maior controlo sobre a amplitude de movimento disponível, logo poderá ser um tipo de treino associado a um grau de segurança maior
Existem inúmeras marcas, tipos e máquinas no mercado. Cabe ao treinador, ter as ferramentas e a formação necessária para manipular as variáveis de forma a tornar o treino com máquinas uma experiência segura e eficaz.
Outrora “demonizadas”, as máquinas de musculação estão cada vez mais associadas a uma experiência de treino positiva e útil para o praticante.
NA PTX defendemos que o treino de força com recurso aos equipamentos adequados e prescrito por um personal trainer com a formação e conhecimentos atualizados na áreas de anatomia, mecânica, física e fisiologia confere a funcionalidade que o corpo de cada cliente necessita.
No entanto, ressalvamos que em alguns casos, atendendo as especificidades individuais e respeitando os aspectos acima referidos, um profissional habilitado poderá também conciliar as máquinas com outros materiais de forma a conferir mais alguns benefícios ao praticante.
Bons treinos!

Texto de Gonçalo André