Blog PTX

Um processo de treino diferente

Já por diversas vezes deve ter reparado, através das nossas publicações, do ênfase que damos ao nosso processo de treino que consideramos diferenciado. Ao mesmo tempo através dos testemunhos dos nossos clientes pode constatar a valorização que todos fazem a este processo. O objetivo deste artigo é fazer a ligação entre o processo de treino praticado e os resultados apresentados, explicando melhor como tudo acontece.
É bastante comum encontrarmos personal trainers especialistas em diversas modalidades, patologias ou diferentes composições corporais. Nada contra quem procura o seu nicho de mercado, eu próprio sou mais procurado por determinado tipo de cliente, contudo a minha vontade de aprendizagem sempre esteve mais canalizada para o conhecimento acerca do corpo humano (nas mais diversas áreas) e de tudo aquilo que está a acontecer debaixo da nossa pele durante o exercício, preparando-me para qualquer desafio na minha área profissional.
Portanto, independentemente do objetivo de cada cliente, seja ele: perda de peso, tonificação muscular, hipertrofia muscular, performance desportiva, etc. o processo de avaliação, construção, monitorização e análise dos exercícios vai ter sempre o mesmo mindset, que é perceber aquilo que o cliente necessita e estimular através do exercício certo na dose certa.
A indústria do fitness ainda vive muito de protocolos para determinados indivíduos/objetivos e critérios de êxito para determinados exercícios, esquecendo-se que as respostas para o que é melhor ou como se deve fazer, estão no corpo da pessoa que temos à nossa frente e essa análise tem de ser constante em cada movimento efetuado.
No artigo «Processo de Avaliação na PTX» (http://ptxexcellence.com/pt/processo-de-avaliacao-na-ptx/) pode consultar como tudo começa. A nossa equipa tem formação em Técnicas de Ativação Muscular, que muito resumidamente visam analisar e estimular musculatura inibidas, equilibrando e preparando o corpo para trabalhar eficientemente. Esta avaliação neuro-músculo-articular ocorre no início do ciclo de treinos, permitindo-nos recolher o máximo de informação possível sobre o funcionamento do seu corpo, pois as limitações na função articular e muscular do cliente é que vão ditar o caminho a seguir. Sempre que necessário voltamos a testar o que for preciso e a ativar o que estiver inibido, este é um processo integrado que faz parte da construção de cada sessão de treino.


No processo de treino uma das principais questões focadas, prende-se com a utilização do cérebro durante a execução do exercício. Normalmente durante o treino estamos apenas focados em levar a carga do ponto A ao ponto B, muitas vezes à custa de outras estruturas que não deviam estar a ser sobrecarregadas ou mesmo através de uma execução mais rápida. Nas sessões de treino personalizado insistimos bastante no foco tensional na musculatura, pois permite-nos interpretar alguns fatores internos do cliente, como por exemplo a capacidade de produzir força nos diferentes graus de amplitude articular e perceber onde podemos intervir de modo a melhorar algum déficit que exista. Esqueça portanto o “no pain no gain” e foque-se no “no brain no gain”, o seu corpo agradece!
Embora os objetivos estéticos sejam aqueles que maioritariamente fazem as pessoas requisitarem os serviços de um personal trainer,n a PTX preocupamo-nos bastante com a saúde dos nossos clientes e não estamos dispostos a abdicar disso em prol de resultados rápidos.


O respeito pelo corpo do cliente, dando-lhe aquilo que ele necessita mesmo que por vezes vá contra aquilo que ele quer, é fundamental para a sustentabilidade dos resultados a longo prazo.
A decisão sobre o que fazer e como fazer, está intimamente relacionada com tudo o que já foi descrito anteriormente, sendo fundamental analisar a qualidade do seu movimento que pode ser de uma forma na 2ª feira e completamente diferente na 4ª ou na 6ª feira. Isto torna o processo de treino altamente individualizado ao invés de uma prescrição prévia que embora possa ser feita com a melhor das intenções acaba por ser um pouco aleatória e “um tiro no escuro” pois não se teve em conta as capacidades da pessoa no momento do treino. É a partir daqui que depois as decisões sobre a: regressão, manutenção e progressão do exercício são tomadas.
Se quiser saber mais sobre a nossa forma de trabalhar, entre em contato connosco. Pode encontrar-nos em Faro no nosso estúdio ou em Olhão no nosso parceiro Hotel Real Marina.
Teremos todo o gosto em ajudá-lo a alcançar os seus objetivos!

Texto de Flávio Faísca