Personal Trainer
24 de Fevereiro, 2019

Devo contar repetições no treino?

No dia-a-dia de um praticante informal de ginásio, independentemente do objetivo, contar repetições é uma parte “religiosa” do treino. Mas será que esses parâmetros como séries/repetições serão os mais importantes para a maioria dos frequentadores dos ginásios em Portugal?
A fisiologia do exercício e a resposta adaptativa condiciona excessivamente aquilo que deveria ser uma experiência de treino de alguém que procura melhorar a sua qualidade de vida e saúde. Para entender melhor analogamente quando a maioria de nós aprende a ler e a escrever começamos pelas letras e não por frases com muitas palavras e muitas variáveis para compreender, assim deve ser o treino. A qualidade de cada repetição deveria ser o foco, só assim podemos antes demais melhorar a nossa “tolerância”, “controlo”, “como” e “quão bem”.

A qualidade de cada repetição deveria ser o foco!

A excessiva importância em determinados fatores hipoteca grandemente a nossa evolução e sustentabilidade ao nível do treino. O que me interessa seguir um protocolo de ganho de massa muscular, com um determinado número de repetições e séries, se nem uma repetição consigo realizar bem e tudo o que faço é sobrecarregar estruturas que já de si estão débeis.

se nem uma das repetições consigo realizar bem e tudo o que faço é sobrecarregar estruturas que já de si estão débeis.
O que me interessa seguir um protocolo de ganho de massa muscular, com um determinado número de repetições e séries, se nem uma repetição consigo realizar bem.


O exercício deve levar em conta as caraterísticas individuais e não ser controlado por regras arbitrárias associadas aos exercícios mais tradicionais de ginásio.
Este modelo de pensamento torna-se difícil de implementar quando, para além das dificuldades inerentes à realização/implementação do exercício, desenvolvemos espaços onde a diversão é o principal objetivo e vendemos isso como o paradigma do exercício físico e promotor da saúde pública.
Então no final devo ou não contar repetições? Existe todo um contínuo a percorrer e claramente a maioria dos praticantes de ginásio encontra-se numa fase “embrionária”, onde na nossa opinião, a importância deveria passar pela qualidade e não pela quantidade.

Devo ou não contar repetições? A importância deveria passar pela qualidade e não pela quantidade.

Haverá sempre contudo tempo para chegarmos a variáveis mais quantitativas se prudência e paciência houver, como tudo na vida…
Bons treinos e muita saúde.
Adaptado do manual Resistance Training Specialist.

Texto de Tiago Gago

Referências:

  • Adaptado de: RTS (Resistance Training Specialist) – Tom Purvis.

blog

Treino online
Treino de força
Treino ao ar livre
Treino
Testemunho
Terapia Ocupacional
Sem categoria
Reflexão da Semana
Prevenção de lesões
Preparação Física
Preparação Física
Postura
Personal Trainer
Perda de Peso
Osteoporose
Nutrição
Músculos
Multidisciplinaridade
Golfe
Futebol
Fisioterapia Desportiva
Fisioterapia
Exercício Físico
Exercício Clínico
Entrevista
Ensino
Educação
Direito Desportivo
Diabetes
Desporto juvenil
Comunicação
Ciência
Cardio
Cancro
Biomecânica
atividade física