pós treino de força
Treino
30 de Maio, 2021

3 aspectos que deve ter em conta no pós-treino

Depois de já termos escrito sobre os aspectos que deve ter em conta “antes” do Treino de Força, esta semana abordamos o que deve ter em consideração no pós-treino. Deverá concordar que todos estes aspetos estão intimamente relacionados e que algumas questões referidas para o “antes” poderiam muito bem ter sido abordados para o pós-treino e vice-versa…a alimentação, o sono ou como iremos ver a ingestão de álcool, são alguns dos exemplos.

1) Pense no próximo treino:
Mantenha uma rotina consistente com uma gestão criteriosa dos dias em vai ao ginásio e os dias em que não o faz. Por exemplo, treinar todos os dias numa semana e parar duas não será produtivo. É a regularidade dos seus treinos que irá permitir estimular e desencadear as adaptações ao mesmo e que progrida de forma segura e eficaz. Naturalmente que quantos mais dias treinar numa semana mais oportunidades terá para se centrar em aspetos-chave e especificidades. No entanto com 2 a 3 treinos semanais pode delinear-se um programa sólido.

2) Não descure a recuperação:
A recuperação muscular é essencial para potenciar não só os seus resultados mas também a retenção ao exercício. Um dia de descanso ou recuperação ativa com uma atividade leve após 1, 2 ou 3 dias de treinos irá permitir reduzir a fadiga, as dores musculares resultantes do “overtraining”, repor depósitos de energia, equilibrar o corpo a nível fisiológico (homeostasia) e pode, inclusive, contribuir para aumentar a massa muscular, os índices de força e performance. Tenha em mente que cada grupo muscular necessita em média 48 a 72 horas para recuperar após alcançar a sensação de fadiga, logo uma correta gestão da recuperação é essencial para a sua evolução e saúde ao nível muscular.

As bebidas alcoólicas desidratam, interferem na absorção de vitaminas e minerais, condicionam a síntese proteica e diminuem os níveis de testosterona no organismo...
As bebidas alcoólicas desidratam, interferem na absorção de vitaminas e minerais, condicionam a síntese proteica e diminuem os níveis de testosterona no organismo.



3) Evitar o álcool:
A ingestão de bebidas alcoólicas desidrata. O corpo é obrigado uma a filtrar um grande volume de líquido para quebrar as moléculas de álcool. Apesar do efeito diurético, não é apenas o álcool que é libertado mas também vitaminas e sais minerais. Sendo os músculos compostos maioritariamente por água, a ingestão de álcool terá naturalmente impacto no seu corpo.
Por outro lado, o consumo exagerado de álcool faz com que o corpo esgote suas fontes de energia essenciais para a sua recuperação. Uma maior fadiga e uma pior qualidade no sono impedem que os músculos se regenerem e se desenvolvam, por isso, prejudicam naturalmente a performance nos próximos dias e respetivos treinos. Como sabemos, as bebidas alcoólicas são muito calóricas e para metabolizar o álcool o fígado, rins e parede intestinal são “perturbados” e sobrecarregados . Insónias, dores de cabeça, arritmias e aumento da pressão arterial são alguns dos efeitos secundários indesejados.
Em suma, as bebidas alcoólicas desidratam, interferem na absorção de vitaminas e minerais, condicionam a síntese proteica e diminuem os níveis de testosterona no organismo, portanto prejudicam a manutenção e aumento da massa muscular.

Como em tudo na vida equilíbrio e moderação são a chave. Estando o álcool muitas vezes associado a momentos de convívio e interação, 2 copos poderão ser o limite para não interferir na produtividade dos seus treinos e na sua vida social.

blog

Treino online
Treino de força
Treino ao ar livre
Treino
Testemunho
Terapia Ocupacional
Sem categoria
Reflexão da Semana
Prevenção de lesões
Preparação Física
Preparação Física
Postura
Personal Trainer
Perda de Peso
Osteoporose
Nutrição
Músculos
Multidisciplinaridade
Golfe
Futebol
Fisioterapia Desportiva
Fisioterapia
Exercício Físico
Exercício Clínico
Entrevista
Ensino
Educação
Direito Desportivo
Diabetes
Desporto juvenil
Comunicação
Ciência
Cardio
Cancro
Biomecânica
atividade física